Notícias
 

 

Fala Síndico debate conflitos no condomínio
Secovi-Rio
Rio, 28/05/2010

O último Fala Síndico, realizado no auditório do Sesc de Copacabana, em 24 de maio, foi diferente dos anteriores. Tradicionalmente voltado para tirar dúvidas dos gestores prediais cariocas sobre administração, finanças e direito imobiliário, essa edição teve um clima especial: as pessoas na plateia buscavam entender as relações humanas, a fim de minimizar a ocorrência de conflitos nos condomínios. Estiveram presentes cerca de 150 síndicos e condôminos. O time de palestrantes deu o tom do evento temático: a psicóloga Silvia Regina, a terapeuta Olívia Araújo e o presidente da Câmara Imobiliária de Mediação e Arbitragem (Cima) Hamilton Quirino ensinaram, cada qual na sua área, como lidar de forma inteligente com os atritos entre os moradores. Juntaram-se a eles o deputado estadual Luiz Paulo, o mediador Ronaldo Coelho Netto, vice-presidente Administrativo do Secovi Rio, e a advogada do Departamento Jurídico do Sindicato Ana Cristina Rielo. 

O tema não podia estar mais vivo. Afinal, na semana anterior ao evento, em 16 de maio, uma confusão em um edifício em Niterói, por causa de música alta em festa de aniversário, terminou em pancadaria entre moradores, a síndica e porteiro. A psicóloga Silvia Regina deu uma ótima dica: "Em uma votação de assembleia, normalmente o grupo que ganha se sente poderoso e os demais se sentem fracassados", diz. 

Uma maneira de melhorar o clima e estimular a participação de todos, de acordo com a especialista, é fazer com que os condôminos apontem pontos fracos e fortes de cada sugestão. Os itens que tiverem mais pontos fortes são aprovados. "Assim todos se sentem participativos. Isso diminui os conflitos e as rivalidades". Outra maneira de promover um clima de paz e organizar reuniões informais entre os moradores, para que todos possam se conhecer melhor e descobrir afinidades. 

Desta forma, ao chegarem nas reuniões as pessoas estarão naturalmente mais amistosas. Para ouvir mais orientações da Dra. Sílvia, que prendeu a atenção da plateia com dicas simples mas eficazes, procure o Centro de Capacitação e garanta sua vaga no curso Gestão de Conflitos, que acontece nos dias 9 e 10 de junho, de 13h30 às 17h30.

Olívia Araújo, da ONG Arte de Viver, revelou algo que deixou os síndicos boquiabetos: "A maneira de respirar pode influenciar de forma positiva ou negativa o seu cotidiano e a relação com os vizinhos no condomínio. Por isso é fundamental aprender a respirar corretamente. As pessoas, que parecem acostumadas com o mau humor, voltam a sorrir naturalmente", disse a especialista, que complementou: "Numa orquestra, o regente é a figura responsável pela harmonia entre os músicos, a disciplina e a coerência. Assim deve ser o síndico no condomínio, ele deve assumir uma postura conciliadora, e não bélica".

O advogado especializado Hamilton Quirino, da Cima, ratificou a importância da conciliação na resolução de conflitos condominiais. "A Justiça está sobrecarregada, existem atualmente 40 milhões de processos em andamento no Brasil. A conciliação e a arbitragem têm custo bem menor e resultado rápido, dentro da ideia do ganha-ganha, ou seja, as duas partes saem satisfeitas". 

Quirino ressaltou ainda que o árbitro é, normalmente, uma pessoa especializada no tema ser tratado, ao contrário dos juízes, que são generalistas. "Para um problema com obras, por exemplo, um engenheiro pode resolver o problema entre as partes com mais embasamento."

voltar


  Rua Senador Dantas, 76 - grupo 1501 - Centro - Rio de Janeiro - RJ
Rio de Janeiro - RJ.

Criação Equilíbrio Digital